IURD JAPÃO 2014

20º Dia – A última chance

Para aquele que pensa no suicídio

Eu tinha 7 anos de idade e estava com um tumor muito grande na minha coxa direita. Os médicos já haviam decretado que teriam que amputar aquela perna.

A minha família passava por uma situação financeira muito difícil e já havia recebido ordem de despejo.

Naquela tarde, meu pai, que nunca havia bebido, chegou em casa bêbado e sem nenhum dinheiro do salário – única esperança da minha mãe para tentar remediar um pouco o aluguel.

A minha mãe o colocou para fora de casa e decidiu que naquela madrugada iria se matar.

Era filha única, e depois de me colocar para dormir, ela foi para a cozinha com a arma do meu pai e preparou-se para puxar o gatilho quando eu acordei e a chamei.

Ela veio me ajudar pensando que iria então realizar o meu último pedido, e aí falei que queria assistir desenho na televisão. Ela tentou me convencer de que não tinha desenho, por ser de madrugada, mas eu insisti.

Ela, naquele momento, pensou que iria me deixar na sala vendo televisão com o som bem alto e retornaria para completar o feito. Foi então que sintonizou num programa chamado “Painel da Verdade”, e o então pastor Macedo falava: “Você que pensa que sua vida não tem mais jeito e tem uma arma na cabeça para se matar, não faça isso. Venha até a igreja, pois tem uma saída para a sua vida”.

Ao ouvir, resolveu tentar e, caso após ir ao endereço na Abolição nada mudasse, ela então se mataria.

No dia seguinte, me carregando no colo – pois já não podia andar devido ao tumor – fomos de Saracuruna até o prédio na Abolição. Ao entrar na igreja, me colocou sentada no último banco e ali já manifestou.

Pastor Macedo, que estava sozinho na igreja, orou por ela, e o demônio disse que foi mandado para destruir a todos, e que a obra de feitiço tinha sido feita na perna de uma boneca minha, a mando de uma tia, para que eu perdesse a perna e isso fosse a tristeza dos meus pais.

Após a oração, o pastor Macedo me chamou para abraçar a minha mãe e eu levantei e andei, o que já não fazia há um tempo.

Minha mãe ficou maravilhada, e quando cheguei perto do altar, percebemos que o tumor havia estourado e purgava toda a sujeira.

Desde então, há quase 30 anos, toda a minha família está na Igreja Universal. Vencemos todas as dificuldades, obras de feitiço e permanecemos. Tenho irmãos mais novos, que são obreiros, e meus pais moram no Jardim Botânico (RJ), e são membros da IURD de Botafogo.

Eu entreguei a minha vida para Jesus muito nova, tive meu encontro com Deus aos 15 anos de idade, e hoje faço a obra de Deus há 4 anos na África do Sul.

Fabiana Moreira

Deixe seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>